Terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Só por hoje  quero aprender a ser realista.  Talvez a arte de ser realista sejam as asas, os pés, as mãos, as pernas e o coração do otimista. “Não serei o poeta de um mundo caduco. Também não cantarei o mundo futuro. Estou preso à vida e olho os meus companheiros (…). Entre eles considero a enorme realidade. O presente é tão grande, não nos afastemos… vamos de mãos dadas (…). O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes, a vida presente” (Carlos Drummond de Andrade).

Mayer, Canísio. Só por hoje. São Paulo: Paulus, 2ª reimpressão, 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *