Sábado, 08 de junho de 2019

Só por hoje quero ser uma pessoa de valor. Quero que o meu comportamento seja reflexo e prolongamento dos valores que entusiasmam meu viver. Não quero ser uma pessoa barulhenta, mas pessoa carregada de conteúdo capaz de significar o viver. Para isso, quero aprender com a sabedoria da vida. Certa manhã, meu pai, muito sábio, convidou-me a dar um passeio no bosque e eu aceitei com muito prazer. Ele se deteve numa clareira e, depois de um pequeno silêncio, me perguntou:-Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa? Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi: – Estou ouvindo um barulho de carroça. – Isso mesmo – disse meu pai -, é uma carroça vazia. Perguntei a meu pai:

-Como pode saber que a carroça está vazia se ainda não a vimos?

-Ora – respondeu meu pai -, é muito fácil saber que uma carroça está vazia pelo seu barulho. Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz.

“Você não pode escolher como vai morres ou quando. Você só pode decidir como vai viver agora” (Joan Baez).

Mayer, Canísio. Só por hoje. São Paulo: Paulus, 2ª reimpressão, 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *