Sábado, 07 de dezembro de 2019

Só por hoje quero fazer memória viva dos meus pais, avós, tios, familiares. Quero dar um tempo para me lembrar deles e recordar vivências. Não quero lembrar para sentir saudades, mas para atualizar no meu hoje o que aprendi com todos eles”. Meu pai era uma criança. As crianças verdadeiramente crianças ficam felizes por pouca coisa.  E isso porque elas possuem o poder mágico de transformar aquilo que é nada em algo que é muito. Pelo poder da imaginação, um cabo de vassoura se transforma num cavalo, e uma caixa de sapatos vazia amarrada a um barbante é um carrinho. Pois assim era o meu pai: ele sabia transformar nadas em coisas boas” ( Rubem Alves).  

Mayer, Canísio. Só por hoje. São Paulo: Paulus, 2ª reimpressão, 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *