Quinta-feira, 11 de julho de 2019

Só por hoje não quero burilar a minha sensibilidade. Quero que a dor dos outros desafie a minha solidariedade. Quero me aproximar de pessoas otimistas e realistas. Quero ser parceiro de pessoas que olham mais para a frente do que para trás, pessoas que solucionam e não reclamam o tempo todo, pessoas que acreditam que uma flor pode desabrochar em meio às rochas. “Cultive o hábito da preferência pelas pessoas que são gratas pelo fato dos espinhos conterem rosas, mais do que pelas pessoas que vivem se queixando de que as rosas têm espinhos” (Thelma Guttyerre).

Mayer, Canísio. Só por hoje. São Paulo: Paulus, 2ª reimpressão, 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *