Quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Só por hoje quero mergulhar no mistério, na poesia, na beleza de sentir. “Dirão, em som, as coisas que, calados, no silêncio dos olhos confessamos?” (José Saramago); “O que dá o verdadeiro sentido ao encontro é a busca, e é preciso andar muito para se alcançar o que está perto” (José Saramago); “O que a memória amou ficou eterno” (Adélia Prado). Só por hoje quero rememorar o que a memória amou, quero reinventar tudo o que a vida me proporcionou, quero viver sempre como peregrino e como aprendiz.

Mayer, Canísio. Só por hoje. São Paulo: Paulus, 2ª reimpressão, 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *