Quarta-feira, 03 de julho de 2019

Só por hoje quero retomar alguns desejos de vida e transformá-los em obras. Desejo que minhas palavras sejam o carimbo das minhas obras. “Hoje se pregam palavras e pensamentos, antigamente se pregavam palavras e obras. Palavras sem obras são tiros sem balas; atiram, mas não ferem. O pregar que é falar, faz-se com a boca; o pregar que é semear, faz-se com a mão. Para falar ao vento, bastam palavras; para falar ao coração, são necessárias obras” (Antônio Vieira).

Mayer, Canísio. Só por hoje. São Paulo: Paulus, 2ª reimpressão, 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *